Delatores informaram uso de R$ 50 milhões como contrapartida por aprovação de medida provisória

Ministro do TSE indica argumentos para cassar Temer e Dilma | Foto: Evaristo Sá / AFP / CP Memória
Foto: Evaristo Sá / AFP / CP Memória.

Ao menos três pontos tratados em depoimentos de delatores da Odebrecht devem embasar a posição do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Herman Benjamin no processo que pode terminar com a cassação da chapa Dilma / Temer. A informação foi divulgada nesta terça-feira pelo jornal Folha de São Paulo. De acordo com informações da publicação, a expectativa é de que Benjamin peça a cassação.

Um dos pontos mais tratados por Benjamin trata do uso de R$ 50 milhões de propina na campanha, dinheiro que seria fruto de uma contrapartida pela aprovação da medida provisória conhecida como Refis da Crise, ainda em 2009. Delatores relataram ao ministro que o montante não foi usado na campanha de 2010, mas ficou de crédito para as eleições ocorridas em 2014.

O outro ponto abordado nos depoimentos trata do pagamento de R$ 25 milhões, via caixa 2, para comprar apoio de partidos para a chapa de Dilma e Temer, além de mais tempo para propagandas na televisão. O terceiro tema que foi bastante explorado por Benjamin fala de gastos não declarados de R$ 16 milhões com o marqueteiro João Santana, que trabalhou na campanha. 

Fonte: http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Pol%C3%ADtica/2017/3/613631/Ministro-do-TSE-indica-argumentos-para-cassar-Temer-e-Dilma



Comentários